Sexta-feira, 6 de Agosto de 2004

A impressionante história da Isabel - uma história quase impossível

A Isabel era uma jovem de 18 anos corajosa, saúdavel que partindo do nada ou quase nada se juntou ao seu companheiro de eleição enfrentando a vida. Como é próprio da idade, num ápice tornou-se mãe de três lindos adoráveis e saúdaveis filhos.Construíu a sua casita.Conheceu mundo ou parte dele em incursões que fez com companheiro e filhos por essa Europa fora.Fez-se mulher.Mulher feliz e passou a sentir-se realizada.Com a sua auto estima no alto por vezes e um pouco vaidosamente, ia por sua alta recreação ao fotógrafo tirar fotos, dela própria.Estava feliz.Ocompanheiro que a via feliz, feliz estava.
Mas nem tudo são rosas e a vida por vezes é madrasta.Vezes demais diga-se de passagem.Aconteceu o impessável. Aos 37 anos a Isa começa a andar deprimida desliga-se muito da casa, não orienta seus afazeres não partinha com o parceiro anda desmotivada enfim uma alteração da sua rotina.O companheiro pressiona, força, tenta remover a situação. Sem exito.Então, e como é lógico, começa enviozadamente a pensar
que ela tem outros interesses na vida e que esta duplicidade está a aniquilar tudo.Pensa e repensa e remeche, mas concluí inevitavelmente que a existência de três filhos embora seja um poderoso motivo não o é o suficiente para que uma vida se sublime e não seja vivida em pleno.Vai daí e numa atitude gravosa brutal até impõe a clarificação das situações.A isabel não tem alternativa e vai ter que decidir.E decidiu.Foram dois longos e penosos dias.Um sofrimento brutal.Mas a Isabel parte com os filhos para o incerto. Vai recomeçar outra vez e do nada.É uma angustia tremenda, mas pelo menos passou a fase brutal de colisão entre dois seres que se amavam.
Mas aqui começa a história verdadeiramente significativa da Isabel que magoada com esta turbulenta situação é contactada três dias depois pelo seu amado.
Muito dignamente não trancou a porta,(passo a expressão), não rejeitou e até deixou espaço e viabilidade para uma possível reconstrução familiar e ouviu atentamente os novos e muito válidos projectos que o seu marido lhe propôs.
E aqui faço um intervalo para um breve comentário.Ela distingue aqui a sua personalidade da maioria, sim porque não maior parte dos casos estes últimos momentos já não seriam possíveis.Com ela foi e isto é muito positivo.
E agora começa a parte mais bela da história da Isa.Depois da tempestade vem sempre a bonança.
A Isabel tem uma catrefada de irmãos, oito acho eu, que não se encontravam há anos e começaram a faze-lo a pouquissimo tempo, resultando então serem os mesmos a ajudá-la no seu momento díficil. Uma porta que Deus abriu. Então a Isa e os filhos estão a estreitar e consolidar laços de amizade com a nova família que ganhou e uma nova vida recomeça a pontos de se poder dizer que tudo está bem . Sim, tudo está bem quando tudo acaba em bem, ora os adolescentes filhos da Isabel encaixam-se nesta história como numa aventura uma vez em que estão entusiasmaticamente conhecendo novos mundos e por isso estão contentes.Se estão bem então tudo está bem ae a Isabel pode sossegar.Do seu destino ela decidirá depois, agora está magoada e não está apta a decidir nada, mas certamente chegará a altura de conscientemente o fazer.
Ora bem esta é a lindissima e valiosa história da Isabel.Não se recomenda a ninguém porque estes dissabores da vida não deveria acontecer, são muito dificeis e perigosos de suportar. Mas esta história e´sobretudo valiosa e muito exemplar para todos os casais que são vítimas directa ou indirectamente deste terríveis disturbios psicóticos ou lá o que isto é e que afectam os seres que se amam e entram em rota de colisão e além disso são situações perigosas e de risco. De alto risco.Há que contorna-las.
Seja como for a Isabel tem um futuro.Tem uma proposta válida do seu marido.Concreta segura e com objectividade. vai aceita-la ou não.Ela o decidirá quando lhe for possível.
vai voltar a sorrir para a vida e a vida para ela.beijos Isabelinha.
publicado por pfmc às 16:02
link do post | comentar | favorito
2 comentários:
De Anónimo a 10 de Janeiro de 2005 às 18:33
Por mais interessante que possa ser a história ( e não afirmo que o seja) os erros de português são tantos que tira o sentido do leitor do texto e condu-lo para os erros. E é pena, porque o simples facto do autor querer expressar sentimentos ou contar muito simplesmente uma história, verdadeira ou ficcionada, já é importante. Mas assim perde-se algo...
AAlmeida
</a>
(mailto:almeidanunes@sapo.pt)


De Anónimo a 10 de Janeiro de 2005 às 18:32
Por mais interessante que possa ser a história ( e não afirmo que o seja) os erros de português são tantos que tira o sentido do leitor do texto e condu-lo para os erros. E é pena, porque o simples facto do autor querer expressar sentimentos ou contar muito simplesmente uma história, verdadeira ou ficcionada, já é importante. Mas assim perde-se algo...
AAlmeida
</a>
(mailto:almeidanunes@sapo.pt)


Comentar post

.mais sobre mim

.Fevereiro 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
13
14

15
18
20
21

22
23
25
26
27
28


.posts recentes

. felizcarnaval

. ...

. ...

. ...

. ...

. ...

. ...

. sonhando

. ...

. o voo da aguia

.arquivos

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Abril 2008

. Fevereiro 2008

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Maio 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Julho 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Agosto 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Maio 2004

.links

.as minhas fotos

blogs SAPO

.subscrever feeds